Relator negociou ajustes com Haddad e leva parecer à CAE amanhã

Relator negociou ajustes com Haddad e leva parecer à CAE amanhã

Sem aprovar um novo texto após o dia 3, em teoria, o programa entra num limbo e fica sem âncora jurídica para funcionar.

Senadores ouvidos pelo UOL avaliam, contudo, que o atraso de um ou dois dias para aprovar o texto não acarretaria consequências ao programa.

O PL está sendo analisado na CAE do Senado e, caso seja aprovado, segue para votação no plenário.

A expectativa é que não haja alterações que façam o texto voltar para análise na Câmara. Para isso, mudanças como a inclusão de quem tem dívidas no Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) seriam feitas em outros projetos já em tramitação.

O governo deixou a medida provisória de lado após um acordo com a cúpula da Câmara e levou o tema adiante por meio de um PL do líder do União Brasil na Câmara, Elmar Nascimento. É o mesmo texto que discute um limite para os juros do rotativo do cartão de crédito.

Nós queremos deixar claro que o valor de 100% [de limite dos juros], que inclusive foi o assunto principal da conversa com o ministro Haddad, e tive compromisso dele de que esse valor de 100% não seja superado na proposta que será feita no prazo de até 90 dias da aprovação da lei no Senado. Estamos falando de [limitar] juros abusivos de 440%.
Rodrigo Cunha, relator do Desenrola no Senado

FONTE UOL

Investidor jv

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *