O que aconteceu com a Yopa, marca de picolés queridinha nos anos 90

O que aconteceu com a Yopa, marca de picolés queridinha nos anos 90

A Yopa, queridinha nos anos 1990, deixou uma marca nostálgica entre os brasileiros.

Conquistou espaço graças à sua forte identificação com o público jovem, tornando-se popular por sua abordagem criativa.

Destacou-se por sorvetes criativos, como o picolé Comics com a imagem do Mickey e o famoso sorvete Sem Parar.

Originalmente alemã (Jopa), foi adquirida pela Nestlé em 1960, já tendo experiência em vários mercados.

A Yopa chegou ao Brasil em 1972, trazendo inovação ao mercado de sorvetes com novos sabores e formatos.

Além de picolés, expandiu sua linha para fabricar sorvetes para consumo como sobremesa, ampliando sua presença no mercado de distribuição.

Introduziu linhas inovadoras, como os lolly pops, jatinhos e cones, demonstrando inovação no mercado de sorvetes.

Nos anos 1990, fechou parceria com a concorrente Gessy Lever, criando a joint venture Insol Indústria de Sorvetes.

A parceria com a Gessy Lever impulsionou a Yopa, atingindo seu auge nos anos 1990.

No início dos anos 2000, a marca começou a perder terreno, levando a Nestlé a substituir gradualmente a marca Yopa por sua própria identidade corporativa.

A resposta estratégica resultou no desaparecimento gradual da marca Yopa do mercado brasileiro, com as embalagens assumindo a logomarca da Nestlé.

Embora tenha marcado o fim da Yopa como a conhecíamos, a estratégia da Nestlé consolidou sua posição no competitivo mercado de sorvetes.

Apesar do desaparecimento no mercado, a Yopa continua a existir na memória popular, relembrada como uma marca importante dos anos 1990.

Para mais informações, acesse UOL Economia.

FONTE UOL

Investidor jv

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *