Juros nos EUA, petróleo em queda e autofalência da Saraiva

Juros nos EUA, petróleo em queda e autofalência da Saraiva

Futuros americanos caem em meio à alta dos juros dos títulos públicos (Treasuries). Hoje, os investidores repercutem a pesquisa semanal sobre pedidos de auxílio-desemprego e a atualização da balança comercial, além de comentários de diversas autoridades do Fed (Federal Reserve, o Banco Central dos Estados Unidos). Amanhã (6) sai o relatório de emprego conhecido como “payroll”, que engloba os setores privado e público. Esses dados geralmente têm forte influência nas decisões de política monetária do Fed, que já sinalizou a manutenção dos juros altos por mais tempo.

Bolsas europeias operam sem direção única, à espera do discurso do vice do BCE. Ontem, em evento no Chipre, Luís de Guindos reafirmou que a inflação na Zona do Euro deve continuar alta por muito tempo, embora siga em tendência de queda. Na França, desta para as ações do Casino, que subiram significativamente na véspera depois que o grupo varejista chegou a um acordo final com credores para reestruturar suas finanças. Investidores também monitoram os títulos do Tesouro americano, que voltaram a subir.

Mercados da Ásia e do Pacífico encerraram o dia majoritariamente em alta. O índice japonês Nikkei subiu 1,8%, enquanto o Hang Seng avançou 0,1% em Hong Kong e o Taiex teve alta de 1,11% em Taiwan. Na direção contrária, o Kospi fechou em leve queda de 0,09% na Coreia do Sul. A predominância do apetite por risco veio após a alta de ontem das Bolsas americanas, que se recuperaram parcialmente das fortes perdas em pregões anteriores. As Bolsas da China seguem fechadas devido ao feriado da Semana Dourada.

Preços do petróleo recuam após salto inesperado nos estoques de gasolina nos EUA. Ontem, a commodity já havia registrado baixa, mesmo depois de a Opep+ (Organização dos Países Produtores e Petróleo e seus aliados) decidir manter os níveis de produção e anunciar o compromisso da Arábia Saudita de levar até dezembro o corte adicional de 1 milhão de barris por dia. Paralelamente, a Rússia comunicou que vai prorrogar até dezembro o corte de 300 mil barris por dia.

EMPRESAS

Em recuperação judicial, Saraiva protocola pedido de autofalência em São Paulo. Ao longo dos últimos anos, sem conseguir se reerguer, a Saraiva reduziu sua operação física e foi focando cada vez mais no online. No último dia 20, a companhia demitiu os funcionários de suas últimas 5 lojas.

FONTE UOL

Investidor jv

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *