Ir na contramão de Haddad colocaria Brasil em ‘rota perigosa’

Ir na contramão de Haddad colocaria Brasil em ‘rota perigosa’

“O Parlamento tem essa compreensão e buscará contribuir com as aprovações necessárias, com as boas iniciativas e perseguindo o cumprimento da meta estabelecida”, complementa a nota do senador.

Devemos seguir a orientação e as diretrizes do ministro da Fazenda, a quem está confiada a importante missão de estabelecer a política econômica do Brasil. Ir na contramão disso colocaria o país em rota perigosa. O Parlamento tem essa compreensão e buscará contribuir com as aprovações necessárias, com as boas iniciativas e perseguindo o cumprimento da meta estabelecida.
Rodrigo Pacheco, presidente do Senado, em nota

Haddad mantém meta de déficit zero

O ministro manteve a meta e negou que Lula tente “sabotar” seu trabalho. Haddad respondeu contrariado a perguntas de jornalistas sobre a meta, que está prevista no arcabouço fiscal aprovado pelo Congresso este ano.

O ministro disse que o compromisso é “buscar o equilíbrio fiscal”, mas que “precisa de apoio político para isso”. Haddad se reuniu com Lula por cerca de duas horas nesta manhã no Palácio do Planalto.

Eu levei ao presidente os cenários possíveis. Se eu tiver de antecipar medidas para 2024, e a Casa Civil e o presidente concordarem.[…] O meu papel é buscar o equilíbrio fiscal, farei isso enquanto estiver no exercício do cargo, ponto. Não é por especulação do mercado financeiro, não é porque sou ortodoxo.
Fernando Haddad, sobre a meta fiscal

FONTE UOL

Investidor jv

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *