inflação sobe 12,4% em agosto, maior alta mensal desde 1991

inflação sobe 12,4% em agosto, maior alta mensal desde 1991

Em meio ao forte aumento dos preços ao consumidor, o ministro da Economia e candidato a presidente, Sergio Massa, está tentando convencer os argentinos a elegê-lo em vez de Javier Milei, um autodenominado “anarco capitalista” que abalou o sistema político argentino ao receber o maior número de votos nas primárias nacionais do mês passado.

“É o número que resume a tragédia deixada por Massa”, escreveu Patricia Bullrich, candidata presidencial da principal coligação da oposição, nas redes sociais, após a divulgação do número da inflação. Pesquisas recentes mostram Milei liderando antes das eleições gerais de 22 de outubro, com Massa em segundo lugar e Bullrich em terceiro.

A elevada taxa de inflação é, em grande parte, um produto da desvalorização pelo governo da moeda local, o peso, em quase 20% após as primárias de 13 de agosto.

“A aceleração (da inflação) é o repasse da desvalorização”, disse Martín Kalos, economista que é diretor da consultoria local Epyca Consultores. “O número não é maior porque a desvalorização capturou apenas 15 dias de agosto. É por isso que o piso é alto para setembro.”

A inflação em agosto foi particularmente elevada para os produtos alimentares, que aumentaram 15,6% em relação a julho, com o preço de alguns cortes de carne bovina subindo até 40%, segundo o Indec.

O aumento real que os consumidores observaram nos pontos de venda foi provavelmente ainda maior. O preço da carne bovina aos consumidores aumentou entre 40% e 70% desde julho, segundo Diego Ponti, analista pecuário da AZGroup, uma consultoria local. Ponti disse que o forte aumento nos preços teve a ver com uma confluência de fatores, incluindo a forma como os preços da carne bovina permaneceram em grande parte congelados por meses, apesar da economia inflacionária.

FONTE UOL

Investidor jv

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *