Entenda a relação entre risco e retorno no mercado de capitais

Entenda a relação entre risco e retorno no mercado de capitais

As duas categorias ajudam no financiamento de projetos com impacto real na sociedade por meio da geração de empregos e no desenvolvimento de comunidades locais, por exemplo. Enquanto o high grade costuma ser usado por empresas de maior porte, o high yield é a escolha de empresas menores ou que têm mais dificuldade em acessar meios de financiamento tradicionais, como aqueles oferecidos por bancos.

Existem, naturalmente, investidores dispostos a aplicar em ambos, a depender da sua propensão ao risco. Porém, é preciso atenção. Como o risco dos títulos high yield é maior, eles precisam oferecer uma promessa de retorno maior para convencer investidores a usar seus recursos para a compra desses papéis.

Por outro lado, uma análise atenta dos períodos de crise dos mercados globais mostra que essa classe de ativos mais arriscados pode ser uma forma interessante de surfar recuperações para aqueles que têm o perfil necessário. Levantamento feito pela Bloomberg mostra que, em crises como a da bolha da internet, em 2000, a falência do Lehman Brothers em 2008 e o crash do petróleo em 2016, a classe de high yield bonds nos EUA historicamente permaneceu entre os melhores retornos no período de recuperação. Ainda de acordo com o estudo da Bloomberg, o Yield to Worst —também conhecido como Yield to Call, uma medida do quanto um ativo de dívida pagaria em caso de resgate antecipado— tem se mostrado um bom indicador de como serão os retornos futuros em cinco anos.

Dados históricos mostram que os resultados efetivos nos EUA se mantiveram próximos dos retornos sugeridos pela medida Yield to Worst, mesmo em cenários de alta volatilidade no meio do caminho. Isso aconteceu, por exemplo, durante a crise financeira global de 2008, um dos períodos de maior turbulência econômica da história recente. Naquele episódio, se um investidor tivesse adquirido títulos high yield nos EUA em maio de 2007 com um rendimento máximo de 7,5% e mantivesse esse investimento pelos próximos cinco anos, ele teria 7,6% em retorno total anualizado —mesmo enfrentando uma redução de 36% no mercado durante esse período. Isso porque os títulos high yield oferecem um fluxo de rendimento que poucos outros ativos conseguem.

Os dados acima se referem ao mercado dos EUA, onde há uma maturidade maior de informações, mas podem oferecer uma sinalização importante para o mercado de dívida em outras regiões. Independentemente de onde o investidor estiver, uma regra segue a mesma: para compensar o risco de crédito mais alto, a dica é buscar informações e optar por uma estratégia de diversificação de ativos, além de manter a frieza diante de possíveis oscilações.

FONTE UOL

Investidor jv

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *