Casa própria pode ficar mais cara com revisão de rentabilidade do FGTS

Casa própria pode ficar mais cara com revisão de rentabilidade do FGTS

O valor aumenta, porque caso o rendimento do fundo seja alterado, o custo de oportunidade vai ficar mais caro. A expectativa da Abrainc é de que o custo do FGTS suba 3 pontos percentuais ao passar de 3% ao ano mais TR para 6,17% mais TR, que é o rendimento da poupança. O aumento diminui em 75% o número de famílias elegíveis ao Minha Casa, Minha Vida, segundo a Abrainc.

O dinheiro colocado no FGTS é emprestado para financiamento de novas obras. A Caixa, banco que administra o FGTS, empresta dinheiro para construtoras, diz Cristiano Corrêa, coordenador dos cursos de MBA em negócios no Ibmec SP. Ela cobra uma taxa mais alta pelo dinheiro emprestado e paga 3% de rentabilidade nas contas. Essa diferença chama spread, a diferença entre o valor que ela paga pelo dinheiro e o que ela recebe, e isso diminuiria com um aumento na rentabilidade das contas do FGTS. Para manter o mesmo lucro, ela aumentaria a taxa que cobra, o que encareceria o empréstimo e, consequentemente, o valor final do imóvel.

A expectativa é de que haja um aumento nos preços dos financiamentos apenas em 2025, caso a revisão seja aprovada pelo Supremo. A Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança) afirma que a expectativa é de que as taxas sigam as mesmas no próximo ano.

Esperamos que os ministros entendam as consequências da mudança e que eles não fiquem olhando só uma alteração de remuneração para uma minoria do fundo. Mas que vejam as consequências que eles estão acarretando do ponto de vista humanitário. É destruir um grande número de pessoas que tem melhoria de vida no Brasil.
Luiz França, presidente da Abrainc

O custo do dinheiro fica mais caro. Se a Caixa quiser manter o mesmo spread (diferença entre empréstimos ou lucro), vai ter que diminuir o ganho dela ou vai manter a rentabilidade que ela tem e repassar o custo adiante. Nessa hipótese, você vai ter sim um aumento [no preço dos financiamentos].
Cristiano Corrêa, do Ibmec SP

Como o voto do STF está caminhando por aplicar a equivalência da poupança, a partir de 2025, para o ano de 2024 a expectativa é que os financiamentos com funding FGTS mantenham-se com suas taxas de juros inalteradas, porém, é muito provável que sejam revistas suas taxas a partir de 2025, a depender do que ficar decidido no STF.
Abecip, em nota

FONTE UOL

Investidor jv

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *